segunda-feira, 31 de agosto de 2009

REFLEXÃO E MORTE




Perguntara-me um aluno, nessas tardes que se desvaneiam por aí:qual dos poetas que você mais gosta ou mais se identifica?
"Pergunta Impertinente devido a sua dificuldade" Pensei, já que....gosto de alguns...como Castro Alves, Fernando Pessoa, Drumond, Manuel Bandeira...e tantos outros...Porém, indetifico-me com Gregório de Matos.

Poeta Barroco, que pertencia a Elite, a Sociedade, a Religião, mas...não se conformava com ela. Percebe-se que a luta contra a hipocrisia permanece desde os primórdios, identifico-me com ele, pois também não me contento com a sociedade, a Elite e DESDENHO a Religiosidade e a Hipocresia dentro das igrejas.

Gregório, pertencia à alta sociedade e é através dela que lança seu olhar crítico sobre os desmandos e irregularidades da aristocracia, sobre a hipocrisia dos clérigos e sobre questões mais reflexivas como religiosidade e amor.

Apaixonei-me pelo "Poeta" quando deparei com seu poema que ilustra sua experiência existencial, extrapolando, assim, as suas primeiras motivações poéticas e alcançando uma dimensão muito mais filosófica e reflexiva.


— DA INCONSTÂNCIA DOS BENS DO MUNDO
Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o Sol, por que nascia?
Se formosa a Luz é, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.

Gregório de Matos

O poeta, demonstra aguda consciência da efemeridade da existência e da passagem do tempo ao falar sobre a brevidade das coisas do mundo. O Sol pode ser entendido como uma metáfora da vida, que mesmo bela, se acaba em tristeza. A permanência das coisas excedem o nosso tempo, mas nossas vidas são breves.

Apenas percebo que devemos desfrutar nossos momentos,... por quais caminhos?! Ao lado do Senhor, pois há Semelhança com as Escrituras.
"Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do SENHOR. Na verdade o povo é erva.(IS 40.6-7).
A vida é breve como a flor que nasce na manhã e morre ao Raiar do sol. Convém que estejamos ao lado do senhor Jesus...

hó, Senhor dê-me sabedoria para que possa desfrutar a minha vida ao seu Lado, e sempre permanecer em seus caminhos!

POR: Jackson Poeta Aprendiz

Um comentário:

Velho Marujo disse...

Caro poeta,

Encontrei seu blog através do blog da Marli, "Palavras Rabiscadas".

Sinceramente não esperava me deparar com tal brilho poético existente aqui, belos textos e o melhor tudo embasado na questão sobre Deus e o homem.

Identifiquei-me muito com seus textos, seu blog...

Também amo ler Ricardo Gondim, e vejo que ambos temos o site dele linkado.

Bom, caro poeta e aprendiz. Fique em paz. Em breve estarei "passeando" por essas bandas de cá.

Abraços!